Você está aqui: Página Inicial

Degustadores de água são treinados

10 de Agosto de 2009

Degustadores de água são treinados

 

A gente sempre aprendeu que a água não tem gosto, nem cheiro, nem cor. Mas não é bem assim. Existem pessoas que são treinadas para garantir, com o nariz e com a boca, a qualidade da água que bebemos.
A gente sempre aprendeu que a água não tem gosto, nem cheiro, nem cor. Mas não é bem assim. Existem pessoas que são treinadas para garantir, com o nariz e com a boca, a qualidade da água que temos em casa.
São os "degustadores de água". O trabalho deles é igual ao de quem experimenta café e vinho. Precisa de técnicas especiais e de alguns cuidados. Não dá para provar a água depois de tomar café, de comer chocolate e até depois de usar um perfume.
Quem disse que a água não tem cheiro e não tem gosto? “Existem quatro tipos básicos de gosto. O ácido, o amargo, o doce e o salgado. Os principais cheiros são cloro, vegetação, floral, frutal, que ocorrem em função das características do manancial”, diz Márcia.
Um grupo está reunido para aprender e depois demonstrar qualidades especiais. A missão da turma é experimentar a água potável da região metropolitana e sentir com exatidão o cheiro e o sabor da água.
“Basicamente ela tem gosto de cloro, quer dizer, é o sabor de cloro. O gosto vai ser um pouquinho salgado, um pouquinho amargo, é este o gosto básico de uma água tratada. Teoricamente a água não deveria ter nenhum gosto, nenhum gosto e nenhum odor, mas uma água tem substâncias dissolvidas, então estas substâncias vão causar algum odor, sabor, gosto, que vão se juntar e dar o sabor da água”, explica Rosângela Ciampi, instrutora.
Os 12 candidatos a degustadores de água, se passarem neste curso, no teste de sensibilidade, eles vão aumentar o número de especialistas da Sabesp. Isto vai permitir que a empresa faça mais análises, que ela seja mais precisa, na avaliação da água consumida pela população da grande São Paulo.
Para isso, tem aula teórica e demonstrações práticas. Existe um curso completo. “Eu vim de sítio, eu já tenho um paladar que a gente conhece, pela própria natureza, conheço bastantes cheiros, bastantes gostos diferentes, então é uma nova carreira, um novo conhecimento para mim e por isso estou em busca disso”, afirma Jurandir Belutti Jr., aluno.
“As estações de tratamento coletam a água, mandam para a gente, a gente faz a análise aqui de imediato e manda as respostas para eles tomarem os ajustes necessários”, explica Eduardo Torres da Cunha, técnico em sistema de saneamento.
Os degustadores participam, em média, de duas sessões por semana, avaliando a água que serve a 20 milhões de pessoas. É uma responsabilidade e tanto para cada um deles.
(SPTV, Bom Dia São Paulo, Antena Paulista)

Visitar Estabelecimento